.:Disclaimer:.

Diário pessoal de uma professora recém-formada e admitida. Quem me conhece sabe como foi a luta para realizar meu sonho de lecionar. E agora que ingressei no mundo do magistério, vou contar os meus acertos e tropeços, minhas experiências e impressões.

Sem essa de diário de classe, aqui o diário é outro! Professora: Mode On, o meu Diário de Bordo.
;p Sejam bem vindos ao meu louco mundo!

Quem sou eu? Professora Raquel. Para os alunos "Prô", para os mais íntimos "Xuh", para os amigos "Quel", para a família "Raks", para você que não me conhece, prazer.

.:Visitas:.

.:Riscos no Quadro:.

"Feliz aquele que transmite o que sabe e aprende o que ensina".
Cora Coralina.

"O homem chega à sua maturidade quando encara a vida com a mesma seriedade que uma criança encara uma brincadeira".
Friedrich Nietzsche

.:Temporize-se:.

.::Mais Vistos::.

Tecnologia do Blogger.

.:Divirta-se:.

.:Criaturas Pedagógicas:.

Juntando os documentos, olhando as papeladas, revendo as sugestões de atividades, oh meu Deus... minhas férias estão acabando. Começa agora, meu último dia de férias. Quando é o carnaval? Mal vejo a hora. ;p
Pois é, muito bom enquanto durou e muito mais bem aproveitada que qualquer outra férias, depois de ter começado a minha vida adulta de responsabilidades e trabalhística. 
Então meu roteiro será esse: Amanhã acordarei, irei para a academia logo pela manhã porque preciso emagrecer a tempo do casamento da minha prima, devo me lembrar de arrumar a bolsa-professora que, para quem não sabe, é sempre pesada... e, por esse motivo, pretendo não sofrer mais, indo de carro, portanto, farei o percurso e tentarei subir aquela ladeira chata (porque íngreme é apelido) daquela escola, e repetirei o caminho. Depois, irei ao Shopping gastar um pouco do meu salário, comprando algumas trocas de roupas de "sair" e "trabalhar", porque preciso urgentemente mudar o meu look e, por fim, comprarei uma pasta para colocar toda a documentação que terei com essa vida de professora, no quesito funcional, já que em seis meses, me vejo com duas documentações importantes que precisarei todo ano em que eu quiser pedir evolução funcional.
Aliás... é em julho que eu peço o quinquênio... Opa!!! 

Aumento, aumento, aumento!!! $$$ *-*

Últimas palavrinhas da prô:
da prô: E esta foi mais uma passagem da minha vida de professora. Às vezes, acertando, outras errando... E você? O que pensa sobre o que acabei de escrever? Sinta-se a vontade para responder a esta pergunta. Vou esperar por ela. E não se esqueça: Se gostou do meu cantinho, siga o blog, poste no mural e volte sempre!

As coisas podiam ser menos complicadas e mais objetivas, não? Eu explico: Liguei semana passada na nova escola para perguntar sobre quando será meu primeiro dia e o horário. Me pediram para ligar quinta-feira, mas já adiantaram o dia: Dia 1º de Fevereiro. Estranhei o fato de meu primeiro ser uma sexta-feira, mas isso se chama: 30 dias de férias. E discordo, não por ser óbvio, mas por ser ridículo. E se fosse meu filho começando as aulas numa sexta-feira? Ele, com certeza, faltaria. Estou sendo sincera... detesto fazer da sexta-feira um dia massante e é exatamente assim que eu penso sobre um "primeiro dia" numa sexta-feira. Que me digam 'N' coisas, não vai mudar o que eu penso e quem disser se sentirá com razão, então pulemos essa parte.
Estou curiosa, ainda, quanto ao horário. Pelo que andei observando no fórum online, me parece que o horário para quem é "volante" (ou seja, eu) será às 8h, para atribuição, devendo concluir o horário do trabalho das 13h30 às 17h30 para reunião de organização do ano letivo... 
O quê? Como é que é? Isso mesmo.Ou passar o dia inteiro nela, ou ir duas vezes para lá.
Cada vez que penso nesse novo cargo, nessa nova escola, mais me assusto. Estou, realmente, preocupada com este ano... Que as coisas se ajeitem, que isso seja só um fato isolado e não uma constante. No mais, ligar na quinta para entender bem tudo isso será minha primeira tarefa ao acordar. 

Últimas palavrinhas da prô:
da prô: E esta foi mais uma passagem da minha vida de professora. Às vezes, acertando, outras errando... E você? O que pensa sobre o que acabei de escrever? Sinta-se a vontade para responder a esta pergunta. Vou esperar por ela. E não se esqueça: Se gostou do meu cantinho, siga o blog, poste no mural e volte sempre!


Uma frase que resume bem o meu pensamento é de Friedrich Nietzsche: "O homem chega à sua maturidade quando encara a vida com a mesma seriedade que uma criança encara uma brincadeira". Penso que o erro mais comum que a grande maioria das pessoas cometem, seja esse: Deixar de ser criança.
Este post poderia ser publicado em qualquer outro blog meu, mas escolhi este por uma boa razão: Acredito que a melhor forma de exercer a profissão docente, é ser criança e adulta ao mesmo tempo. Pode parecer um absurdo, mas na verdade é bastante óbvio. Como adulta e profissional, você entende o processo pelo qual o aprendizado se dá, mas como criança, você se envolve nas brincadeiras, diverte as crianças e se diverte também. 
Sempre defendi que a gente nunca deve deixar a nossa criança interior morrer e sempre achei um absurdo (agora sim!) crianças se "adultizando" precocemente, e na grande maioria das vezes, os pais são os culpados. Os pais adultizam os pequeninos quando os vestem com modelo de roupa de adulto, quando deixam as meninas usarem saltos que mal permitem se equilibrar e usarem maquiagem, ou quando brincam que elas tem um namorado. Pular uma fase, ainda mais a da infância, é triste demais! Criança é criança, adolescente é adolescente, jovem é jovem. Não mudem essa ordem! Como o Renato Vargens disse, "Criança deve ser criança, até porque é sendo criança, vivendo como criança, não queimando etapas, nem tampouco ultrapassando os limites naturais da vida é que poderão, no futuro, construir um mundo melhor."
E tem coisa mais bonita que a ingenuidade, a inocência e a sinceridade de uma criança? De certa forma, talvez, Rousseau estivesse certo em um ponto: A sociedade corrompe o indivíduo. A ingenuidade, a inocência e a sinceridade são valores que não se vê muito por aí, entre o adultos, mas basta olhar para uma criança e estes mesmos valores aparecem com uma simplicidade de deixar inveja.
E, convenhamos, ser adulto é um porre. Responsabilidade em cima de responsabilidade. Na segunda-feira, todos com cara de cansaço por não terem aproveitado o fim de semana direito e tendo de ir trabalhar. No meio do mês a certeza de já ter acabado o seu salário pagando contas e mais contas. E aí, fica a pergunta:


Por último, lanço outra: Quem é que disse que, para ser adulto, devemos esquecer a nossa "alegria infantil"? Termos passado pela infância não significa abandoná-la. Deixe a criança dentro de você falar mais alto de vez em quando. Quem sabe assim, com todo mundo se "infantilizando" um pouco, o mundo não volte a ser mais feliz?!

Últimas palavrinhas da prô:
da prô: E esta foi mais uma passagem da minha vida de professora. Às vezes, acertando, outras errando... E você? O que pensa sobre o que acabei de escrever? Sinta-se a vontade para responder a esta pergunta. Vou esperar por ela. E não se esqueça: Se gostou do meu cantinho, siga o blog, poste no mural e volte sempre!

Minha ausência se deve às primeiras férias como professora. É... passei um tempo fora do estado e fui curtir o Natal e o Ano Novo em Minas. Senti a paz que eu precisava e cá estou de volta. Agora é aguardar o início das aulas.
Confesso que, por mim, eu ficava de férias para sempre. Confesso, também, que estou com um receio tremendo deste ano e espero que seja só aquele medo e ansiedade iniciais que aparecem toda vez quando começamos, inclusive como alunos, em uma nova escola. Acho que tomei um susto revendo a comunidade que já trabalhei quando inspetora. Não que seja difícil trabalhar por lá, mas é uma nova etapa na minha vida. Começarei a trabalhar de carro, dificilmente irei pegar sala este ano e só a ideia de ter de cuidar do intervalo, mesmo que de vez em quando, me descontrola. Fora o trânsito frequente que terei de enfrentar.
Na real? Virar adulta é um porre. :)

Últimas palavrinhas da prô:
da prô: E esta foi mais uma passagem da minha vida de professora. Às vezes, acertando, outras errando... E você? O que pensa sobre o que acabei de escrever? Sinta-se a vontade para responder a esta pergunta. Vou esperar por ela. E não se esqueça: Se gostou do meu cantinho, siga o blog, poste no mural e volte sempre!

.:Promova Também:.